China: 11º fim de semana de protestos em Hong Kong

Tempo de leitura: 4 minutos
Milhares de professores marcharam contra a violência policial dirigida aos manifestantes jovens. Foto: Kim Hong-Ji (Reuters).

Milhares de manifestantes tomaram as ruas de Hong Kong neste sábado (17/08), procurando mostrar que seu movimento ainda tem apoio público mesmo após dois meses de confrontos cada vez mais violentos.

Com informações do The Guardian.

Os manifestantes, vestidos de preto e segurando guarda-chuvas, marcharam pelas ruas principais de Kowloon, cantando: “Libertem Hong Kong! Revolução do nosso tempo!”. Voluntários distribuíram chá de ervas e suco, enquanto algumas lojas que tinham fechado para o dia deixaram caixas de bebidas para os manifestantes. Três manifestações separadas aconteceram no sábado, marcando o 11º final-de-semana de protestos em Hong Kong, enquanto os moradores continuam pressionando o governo a retirar formalmente uma polêmica lei de extradição, além de atender a outras demandas.

Em uma das manifestações, milhares de professores enfrentaram fortes chuvas para encher uma praça pública no centro de Hong Kong, onde se uniram contra a brutalidade policial contra jovens manifestantes. “Quando vejo como as coisas estão agora, não vejo futuro para as crianças”, disse Li, 30 anos, uma professora de jardim de infância que ajudou a organizar a manifestação. “Hoje os professores saíram para mostrar aos alunos que os entendemos e vamos lutar com eles até o fim”, completou sobre o evento, intitulado “Proteja a próxima geração”. Ela disse: “Não são apenas os alunos. Todas as pessoas de Hong Kong precisam de proteção”.

Marchando em Kowloon, os professores gritaram: “Vejo você no Victoria Park!”, em referência a uma grande manifestação planejada para o domingo.

O fim de semana das manifestações serve como um teste para o ímpeto dos protestos depois que as tensões alcançaram um novo nível na semana passada. Após um fim de semana de violentos confrontos com a polícia, manifestantes ocuparam o aeroporto de Hong Kong. Os manifestantes bloquearam passageiros, forçando a suspensão dos serviços aeroviários e entrando em confrontos com a polícia – além de deterem dois homens suspeitos de serem espiões colocados na manifestação pelo governo, em cenas que a mídia estatal chinesa e seus apoiadores adotaram como evidência das violentas tendências dos manifestantes.

Após os episódios violentos, os manifestantes pediram um fim de semana de marchas pacíficas e um retorno aos métodos usados ​​quando as manifestações começaram, em Junho. No sábado os manifestantes usavam máscaras cirúrgicas, mas não pareciam estar com equipamentos de proteção, como em manifestações anteriores, em preparação para confrontos com a polícia.

Analistas afirmam que as autoridades parecem dispostas a entrar em conflito com os manifestantes. A polícia proibiu o plano original para o evento de domingo, uma marcha, e o confinou em uma manifestação no Victoria Park. “Sabemos que o governo não está tentando ajudar a situação, ou pelo menos não está mostrando nenhum sinal de tentar”, disse Elizabeth Yu, 26 anos, músico e intérprete.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. China: 11º fim de semana de protestos em Hong Kong. Fora!. Acessado em 17 de agosto de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/08/17/china-11o-fim-de-semana-de-protestos-em-hong-kong/>.

APA:

Redação do Fora!. (17 de agosto de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/08/17/china-11o-fim-de-semana-de-protestos-em-hong-kong/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*