Venezuela-Rússia: Assinado acordo de cooperação militar

Tempo de leitura: 3 minutos
Serguei Shoigu (esquerda) e Vladimir Padrino (direita).

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino, anunciou em sua conta oficial no Twitter que no último dia 15/08 assinou vários convênios de cooperação bilateral com seu par russo, o General Serguei Shoigu. Os convênios preveem cooperação nas áreas de educação, capacitação e exercícios combinados nos âmbitos terrestres, aquáticos e aéreos.

Com informações de Pravda, Prensa Latina, Veja e Exame.

Durante a reunião, realizada em Moscou, onde se encontra o ministro venezuelano para participar do ato de encerramento dos Jogos Internacionais Militares 2019, ambos reafirmaram sua defesa da autodeterminação dos povos e o respeito à soberania. Shoigu declarou que seu país apoia a política exterior de Caracas e fez críticas ao governo dos Estados Unidos. “Estamos acompanhando os acontecimentos na Venezuela. Condenamos a pressão sem precedentes de Washington, que visa a desestabilização da situação no país”, afirmou o ministro da Defesa russo. Acrescentou, ainda, que o acordo é “um ato de cooperação inédito na região em muitos anos”.

“Apoiamos os esforços da liderança da república venezuelana na condução de uma política externa independente e no combate às tentativas dos Estados Unidos de mudar o poder eleito legitimamente (…). Acreditamos que apenas os venezuelanos têm o direito de determinar o seu futuro”, completou.

Padrino, por sua vez, destacou a “formalização do protocolo das visitas mútuas” e a possibilidade de discutir “questões referentes à situação atual na Venezuela e o pacto de apoio técnico no campo da defesa”. Afirmou que a “legislação internacional é violada de uma forma absolutamente insolente”, por meio das sanções americanas, e culpou as ações dos Estados Unidos pela crise econômica e humanitária em seu país.

A assinatura do acordo ocorre uma semana após novas sanções terem sido impostas ao governo venezuelano pelos Estados Unidos, que consideram o governo Maduro ilegítimo. A Rússia também possui interesses estratégicos no país sul-americano. Em 2007 a Venezuela tomou US$ 17 bilhões em recursos para financiamento de seu programa plurianual de crescimento econômico. Por meio da estatal petrolífera Rosneft, o governo russo obteve a concessão de direitos sobre dois campos de produção na plataforma marítima. As reservas nesses lotes são estimadas em cerca de 146 milhões de barris. Putin abriu linhas de crédito para Maduro em 2014 e em 2018. Outras duas empresas russas, a Gazprom e a LUKoil, são fornecedoras de serviços para a PDVSA, a estatal de petróleo e derivados fortemente atingida pelas sanções estadunidenses. Parte dos débitos da Venezuela para com a Rússia devem ser quitados até 2027.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. Venezuela-Rússia: Assinado acordo de cooperação militar. Fora!. Acessado em 18 de agosto de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/08/18/venezuela-russia-assinado-acordo-de-cooperacao-militar/>.

APA:

Redação do Fora!. (18 de agosto de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/08/18/venezuela-russia-assinado-acordo-de-cooperacao-militar/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

One Comment

  1. Pingback: Moçambique-Rússia: governo aprova entrada de navios militares russos | Fora!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*