África do Sul: Protestos xenófobos causam a morte de cinco pessoas

Tempo de leitura: 3 minutos
Saqueadores em uma loja de Joanesburgo, na segunda-feira. Michele Spatari/Agence France-Presse

Com informações do The New York Times e BBC.

Na recente onda de violência que ocorreu nos últimos dois dias em Johanesburgo, capital da África do Sul, os revoltosos saquearam lojas e queimaram carros contra os imigrantes que moram na região. A polícia disse que cinco pessoas morreram e pelo menos 189 foram presas.

Autoridades locais seguem a linha que as demonstrações de hostilidade são todas contra os imigrantes. Na noite da segunda-feira (02/09), o prefeito da capital, Herman Mashaba, declarou que os principais alvos dos ataques foram lojas possuídas por estrangeiros.

Na terça-feira (03/09), o presidente do país, Cyril Ramaphosa, condenou os ataques e disse que são “totalmente inaceitáveis”, adicionando que as demonstrações de xenofobia são “tudo que é completamente contra o que nós, como sul-africamos, defendemos”.

Cerca de 3,6 milhões de residentes no país são estrangeiros, de um total de mais de 56 milhões de habitantes na África do Sul. A maioria dos imigrantes vieram de países como Moçambique, Somália e Zimbábue, segundo dados oficiais. Contudo, a maior parte dos atos são contra os nigerianos que trabalham no país. Eles são geralmente enquadrados com o estereótipo de criminosos.

O recente relatório do Centro Africano para Migração & Sociedade, que monitora os ataques na África do Sul desde 1994, diz que a violência xenófoba é “de longa data, desde o período do pós-Apartheid”.

De acordo com Adekeye Adebajo, nigeriano acadêmico da Universidade de Joanesburgo, os protestos são consequências da frustração econômica que os sul africanos mais pobres sentem após o fim do Apartheid. “O ressentimento é que nós sofremos por muito tempo. E, agora que estamos livres, não sentimos realmente os benefícios pelos quais lutamos”.

Adebajo adiciona também uma peculiaridade aos ataques na África do Sul. “As tensões que ocorrem entre os africanos no continente não são exclusivas aqui da África do Sul. O que faz daqui ser um caso horrível é a forma violenta como eles atacam os estrangeiros”.

Kaanan Philip, nigeriano dono de uma loja de acessórios para celulares, disse que uma multidão queimou seu estabelecimento deixando todo o material plástico derretido. “Nós só estamos viver uma vida honesta”, ele disse. “Nós não merecemos ser tratados do jeito que os sul africanos nos tratam”, afirmou.

As cinco mortes foram confirmadas pelo coronel Lungelo Dlamini, porta-voz da polícia da província de Gauteng, que fica em Joanesburgo. Dlamini não disse a identidade das vítimas nem sua nacionalidade.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. África do Sul: Protestos xenófobos causam a morte de cinco pessoas. Fora!. Acessado em 4 de setembro de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/09/04/africa-do-sul-protestos-xenofobos-causam-a-morte-de-cinco-pessoas/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (4 de setembro de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/09/04/africa-do-sul-protestos-xenofobos-causam-a-morte-de-cinco-pessoas/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*