Irã: União Europeia avisa que pode ser forçada a se retirar do acordo nuclear

Tempo de leitura: 5 minutos
Presidente iraniano Hassan Rouhani. Fonte: Wikimedia Commons. Foto: Mojtaba Salimi

Com informações do The Guardian

A União Européia alertou o Irã, em particular, que será forçada a começar a se retirar do acordo nuclear em novembro, se Teerã seguir em frente com a ameaça de dar novos passos para longe do acordo. O Irã já tomou três medidas distintas do acordo e alertou que levará um quarto passo em novembro caso os EUA levantem sanções econômicas.

O aviso ao Irã, pré-acordado pelos três signatários da UE no acordo de 2015, foi feito em uma reunião na quarta-feira (26/09) e deixa claro que o pacto está agora perto do fim.

O Irã diz que está tomando medidas anunciadas, reversíveis e calibradas, como represália às sanções dos EUA, incluindo a proibição das exportações de petróleo iranianas e o fracasso da UE em fazer mais para construir comércio com o Irã. Teerã deve dar um prosseguimento no programa nuclear no dia 7 de novembro.

Uma fonte disse: “A dificuldade é que o Irã diga que os passos são reversíveis, mas se eles aprenderem sobre a construção de uma bomba nuclear, isso é irreversível”.

Tal medida seria um grande golpe para a UE, que se recusou por 16 meses a se juntar aos EUA na retirada do acordo. O governo Trump está tentando convencer a UE a abandonar o acordo, e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, reivindicou esta semana o ataque de 14 de setembro às instalações de petróleo da Saudi Aramco, representando “um despertar” para a Europa.

A advertência da UE também veio depois que o presidente francês, Emmanuel Macron, falhou em intermediar um novo acordo entre os EUA e o Irã, no qual Washington suspenderia as sanções, e Teerã retornaria ao pleno cumprimento do acordo.

Macron esperava que o choque do ataque aos campos de petróleo sauditas, atribuído ao Irã pela UE e pelos EUA, levasse os dois lados a se comprometerem. Mas a recusa de Washington em suspender qualquer sanção antes de conversas com autoridades iranianas, e a recusa de Teerã em manter contatos antes que as sanções fossem atenuadas tornaram significativamente impossível a missão do presidente francês.

Em entrevista a repórteres em Nova York na quinta-feira, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, instou os Estados Unidos a “cessarem esta política de pressão máxima” em favor do “diálogo, lógica e razão”. Ele continuou, “se chegarmos a um momento em que essas pré-condições forem retiradas da mesa, é claro que existe a possibilidade de conversar com a América”.

Diplomatas da UE não veem um apelo por parte da Arábia Saudita ou nos Emirados Árabes Unidos em liderar uma guerra contra o Irã. Riyadh, capital da Arábia Saudita, quer que os EUA liderem uma resposta militar, algo que o presidente Trump reluta em fazer. Os Emirados Árabes Unidos argumentam que a decisão do Irã é contraproducente, pois está forçando a UE a repensar sua abordagem.

Mas diplomatas europeus ainda argumentam que a estratégia americana é incoerente: Washington aplicou um regime de sanções tão severo que Teerã respondeu militarmente, mas o presidente ainda não está disposto a responder da mesma maneira, o que significa que sua única opção real é mais sanções.

No início de junho, o governo iraniano anunciou que romperia com um componente-chave do acordo com o Irã – o plano de ação conjunto abrangente – aumentando o enriquecimento de urânio de baixa qualidade e aumentando seu estoque além das limitações descritas no acordo.

Até agora, o Irã anunciou que violaria seus compromissos de aumentar o estoque de urânio pouco enriquecido acima do limite de 300 kg de 3,67% de urânio enriquecido e enriquecer urânio acima do nível de 3,67%. Em setembro, o Irã anunciou que desenvolverá centrífugas mais avançadas que permitirão um enriquecimento mais rápido de urânio.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Irã: União Europeia avisa que pode ser forçada a se retirar do acordo nuclear. Fora!. Acessado em 27 de setembro de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/09/27/ira-uniao-europeia-avisa-que-pode-ser-forcada-a-se-retirar-do-acordo-nuclear/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (27 de setembro de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/09/27/ira-uniao-europeia-avisa-que-pode-ser-forcada-a-se-retirar-do-acordo-nuclear/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*