Moçambique: Filipe Nyusi é reeleito presidente do país

Tempo de leitura: 4 minutos
Filipe Nyusi, presidente reeleito em Moçambique. Fonte: Wikimedia Commons. Autor: Chatham House

Com informações da Folha de Maputo e O País

Filipe Nyusi, candidato pela Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), foi reeleito presidente do país nas eleições do dia 15 de outubro. Segundo a Comissão Nacional de Eleições (CNE), Nyusi obteve 73% dos votos para o cargo que vai ocupar pelos próximos cinco anos. Seu partido também obteve vitórias nas disputas locais e legislativas.

O presidente reeleito terá como principais objetivos impulsionar o país como um grande exportador mundial de gás, enfrentar insurgência islâmica e implementar acordo de paz com seus principais opositores, como Ossufo Momade, da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), que conseguiu 21,88% dos votos.

Em comício realizado após a CNE ter declarado o resultado das eleições, Filipe Nyusi disse que o seu mandato pode significar uma nova era para o país. “Este mandato pode começar com um novo Moçambique, um país em paz”. Ele ainda prometeu que Moçambique será mais inclusiva. “Cada moçambicano deve ter oportunidade igual no novo país que se vai construir. Exorto a todos os moçambicanos a juntarem-se ao projeto que é de todos. Juntos vamos prosperar como uma nação”, conclamou o presidente.

Irregularidades nas eleições

A CNE entregou, nesta terça (29/10), todo o processo das eleições gerais para efeitos de validação e proclamação dos resultados ao Conselho Constitucional (CC). “Submetemos ao CC todo processo relativo às eleições de 15 de Outubro de 2019. Este processo é constituído pelas cópias das deliberações e resoluções contidas em Boletim da República publicados durante todo processo eleitoral, nos postos de votação; assim como informação sobre os candidatos e sobre os postos de recenseamento”, afirmou aos jornalistas o presidente da CNE Abdul Carimo.

Contudo, o próprio presidente do órgão reconheceu a existência de irregularidades durante o processo. “Nós, como órgãos de gestão eleitoral, temos preocupações relativas a algumas irregularidades que aconteceram durante o processo; e por isso é que quando fizemos a declaração no anúncio dos resultados, ninguém nos ouviu a dizer que as eleições foram livres, justas e transparentes”, declarou. “Deixamos este julgamento da liberdade, da justeza e da transparência para o CC”, acrescentou o presidente.

Carimo também comentou que era desejo do CNE “fazer de tudo de modo que as eleições fossem as mais pacíficas possíveis”, o que não se verificou, uma vez que vários foram os relatos de incidentes.

Espera-se que a CC valide o resultado das eleições até dezembro. A Renamo e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) já comunicaram que não aceitam o resultado do pleito, alegando indícios de fraude, intimidação e irregularidades.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Moçambique: Filipe Nyusi é reeleito presidente do país. Fora!. Acessado em 29 de outubro de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/10/29/mocambique-filipe-nyusi-e-reeleito-presidente-do-pais/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (29 de outubro de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/10/29/mocambique-filipe-nyusi-e-reeleito-presidente-do-pais/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*