EUA: Trump inicia o processo de saída do Acordo de Paris

Tempo de leitura: 3 minutos
Trump e seu cabelo visto de trás. Fonte: Wikimedia Commons

Com informações de Reuters e BBC

Os Estados Unidos notificaram formalmente a Organização da Nações Unidas de sua saída do Acordo de Paris neta segunda-feira, dia 4 de novembro. Trata-se do primeiro passo dado pelo governo de Donald Trump para executar o processo de saída, que deve demorar um ano para ser concluído. Maior consumidor de combustíveis fósseis do planeta, os EUA também serão o único país do planeta fora do acordo de Paris depois de concluído o pedido.

A saída do Acordo de Paris é condizente com uma velha promessa de Trump de turbinar a exploração de petróleo, gás e carvão nos EUA. Essa promessa encontrava no acordo um obstáculo, em vista do compromisso global que estipula um limite de 2º C de aumento global de temperaturas decorrente das emissões de carbono e o esforço para diminui-las até o limite capaz de manter um aumento de 1,5º C.

O Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, confirmou a saída de seu país do acordo pelo Twitter. “Os Estados Unidos têm orgulho de nosso recorde como líder mundial na redução de todas as emissões, promovendo a resiliência, o crescimento de nossa economia e garantindo energia para nossas cidades. Temos um modelo pragmático e realista”, escreveu Pompeo. O Departamento de Estado dos EUA comunicou ao Secretário Geral das Nações Unidas, Antônio Guterres, para demarcar o período de saída para ser completado no dia 4 de novembro de 2020.

A data escolhida chama atenção por ser um dia depois das eleições presidenciais norte-americanas. A perspectiva é que a proximidade entre o fim das eleições e a conclusão do processo de saída do acordo dificulte a reversão, caso o Partido Democrata leve a presidência ano que vem. Ainda assim, a esperança dos grupos ambientalistas é que Trump seja derrotado na eleição do ano que vem e que um possível governo Democrata restaure o alinhamento dos EUA com o Acordo de Paris.

De qualquer modo, considera-se que a saída do Estados Unidos será um revés pesado contra o Acordo de Paris. O temor é que ele ocasione um efeito dominó e estimule outros países a saírem do acordo. Rússia e Turquia já sinalizaram nesse sentido ao se recusarem a ratificar o acordo apesar de continuarem como signatários.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. EUA: Trump inicia o processo de saída do Acordo de Paris. Fora!. Acessado em 4 de novembro de 2019. Disponível em <https://fora.global/2019/11/04/eua-trump-inicia-o-processo-de-saida-do-acordo-de-paris/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (4 de novembro de 2019). Fora!. https://fora.global/2019/11/04/eua-trump-inicia-o-processo-de-saida-do-acordo-de-paris/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*