Afeganistão: presidente assina decreto para libertar 1.500 combatentes do Talibã

Tempo de leitura: 4 minutos
Ashraf Ghani, presidente recém-empossado do Afeganistão. Foto: Mohammad Ismail/Reuters.

Com informações de Al-Jazeera (adaptado).

O presidente afegão, Ashraf Ghani, assinou um decreto para libertar 1.500 prisioneiros do Taliban como um meio de iniciar conversas diretas com o grupo armado para encerrar a guerra de 18 anos no Afeganistão.

De acordo com uma cópia do decreto, de duas páginas, visto pela agência de notícias Reuters na noite de terça-feira, todos os prisioneiros do Talibã liberados terão que fornecer “uma garantia por escrito para não voltar ao campo de batalha”.

“O presidente Ghani assinou o decreto que facilitaria a libertação dos prisioneiros do Talibã, de acordo com uma estrutura aceita para o início das negociações entre o Talibã e o governo afegão”, afirmou o porta-voz de Ghani, Sediq Sediqqi, no Twitter.

O decreto, que será divulgado posteriormente pelo escritório de Ghani, detalha como os prisioneiros do Talibã serão libertados de maneira sistemática para promover acordos de paz. O processo de libertação dos começará em quatro dias.

A libertação de prisioneiros faz parte de um acordo assinado pelos Estados Unidos e pelo Talibã no mês passado, que permitiria que as forças americanas e as tropas da OTAN se retirassem do Afeganistão para encerrar mais de 18 anos de guerra.

No início da terça-feira, o porta-voz do Talibã, Suhail Shaheen, disse em um tweet que seu grupo entregou uma lista de 5.000 prisioneiros aos EUA e estava esperando que todos fossem libertados.

Também na terça-feira, um líder do Talibã em Doha, a sede política do grupo, disse que veículos foram enviados para uma área próxima à prisão de Bagram, ao norte da capital, Cabul, para recolher os combatentes libertados. “Após nossa conversa com Zalmay Khalilzad (enviado especial dos EUA para o Afeganistão) na segunda-feira, em que ele nos transmitiu a libertação de nossos 5.000 prisioneiros, enviamos veículos para buscá-los”, disse ele à Reuters.

O Talibã exigiu a libertação dos prisioneiros como uma medida de fortalecimento da confiança para pavimentar o caminho para a abertura de negociações diretas com o governo.

Ghani, que anteriormente se recusou a honrar um acordo de troca de prisioneiros entre os EUA e o Talibã, disse mais tarde que não era avesso a libertar prisioneiros talibãs para levar o processo de paz adiante.

Além das tensões entre Ghani e o Talibã, uma disputa política crescente entre Ghani e seu antigo executivo-chefe, Abdullah Abdullah, aprofundou o caos político no país.

Ghani foi empossado para um segundo mandato na segunda-feira, mas a cerimônia foi marcada por um ataque com foguetes.

Abdullah, que se recusou a aceitar os resultados das eleições divulgados no mês passado ou a reconhecer Ghani como presidente, também realizou sua própria cerimônia de inauguração no mesmo dia.

Enquanto isso, na terça-feira, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade uma resolução dos EUA sobre o acordo entre os EUA e o Talibã, um raro endosso de um acordo com um grupo armado.

As forças armadas americanas começaram a retirar tropas como parte da retirada acordada no pacto de 29 de fevereiro.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. Afeganistão: presidente assina decreto para libertar 1.500 combatentes do Talibã. Fora!. Acessado em 11 de março de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/03/11/afeganistao-presidente-assina-decreto-para-libertar-1-500-combatentes-do-taliba/>.

APA:

Redação do Fora!. (11 de março de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/03/11/afeganistao-presidente-assina-decreto-para-libertar-1-500-combatentes-do-taliba/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*