Venezuela: Governo dos EUA acusa Maduro de narcoterrorismo

Tempo de leitura: 3 minutos
Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro. Fonte: Miguel Gutiérrez/ EFE

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América acusou formalmente hoje, dia 26 de Março, o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, e o presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela, Diosdado Cabello, e o ministro da defesa venezuelano, Vladimir Padrinho Lopez, de patrocinar o narcoterrorismo. Com essa acusação, o governo dos Estados Unidos passa a oferecer uma recompensa de 15 milhões de dólares por informações que levem à captura do mandatário venezuelano. A acusação atribui a Maduro o financiamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as FARC, com o intuito de levar instabilidade política à Colômbia.

Em ato de formalização das acusações, o Procurador Federal do Estado de Nova York, Geoffrey Berman, anunciou os processos criminais contra Maduro em nome do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. “Anunciamos processos criminais contra Nicolás Maduro por levar adiante, junto de suas principais autoridades associadas, uma sociedade narcoterrorista com as FARC ao longo dos últimos 20 anos. O alcance e a magnitude da droga traficada só foi possível por conta de Maduro e das instituições venezuelanas corrompidas, que ofereceram proteção política e militar para os crimes de narcoterrorismo”, afirmou Berman.

Já em coletiva de imprensa, o Procurador Geral dos Estados Unidos da América, Bill Barr, deu maior detalhamento às acusações. Associou Maduro à liderança do Cartel de los Soles, uma organização de narcotráfico que envolveria políticos de alto escalão do Estado, membros do exército e do poder judiciário venezuelano. Através da ligação dessa organização narcotraficante com as FARC, Maduro estaria conspirando para instabilizar o Estado colombiano ao mesmo tempo em que potencializava o tráfico de cocaína nos Estados Unidos. Também pontuou que entre 200 e 250 toneladas de cocaína foram enviadas para os Estados Unidos com amparo do governo venezuelano. Questionado se a acusação poderia derivar para alguma invasão militar ao território venezuelano, Barr respondeu que não estava “em posição para comentar sobre ações futuras”.

O governo norte-americano passa então a oferecer 15 milhões de dólares em recompensa por Nicolás Maduro. Já para Cabello recairia uma recompensa de 10 milhões de dólares, quantia também atribuída a Cliver Alcalá Cordones, general maior do exército venezuelano, Hugo Carvajal, deputado da Assembleia Constituinte, e Tareck El Aissami, ex-vice presidente de Venezuela no período de janeiro de 2017 até junho de 2018.   

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. Venezuela: Governo dos EUA acusa Maduro de narcoterrorismo. Fora!. Acessado em 26 de março de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/03/26/venezuela-governo-dos-eua-acusa-maduro-de-narcoterrorismo/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (26 de março de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/03/26/venezuela-governo-dos-eua-acusa-maduro-de-narcoterrorismo/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*