Equador: país passa por drama envolvendo vítimas da COVID-19

Tempo de leitura: 4 minutos

Com informações da BBC

Equador se junta aos países que estão sofrendo com pandemia causada pelo coronavírus. Na capital, Guayaquil, é comum encontrar mortos pelas ruas da cidade porque o sistema de saúde e o serviço funerário entraram em colapso, não dando conta de atenderem a todas as pessoas com casos confirmados e nem as vítimas fatais.

O país sul-americano registrou o maior número de mortes e casos confirmados nesta quarta-feira (01/04) na região. Ao todo, foram 60 mortes e 1937 pessoas confirmadas com o Covid-19, sendo 1301 na capital. Contudo, esses números apenas contabilizam aqueles que conseguem realizar os testes em postos de saúde, não sendo possível dizer realmente o número preciso de pessoas infectadas.

Jésica Castañeda, que mora a noroeste da cidade, conta que seu tio faleceu no dia 28/03, mas que ninguém compareceu para retirar o corpo. “Os hospitais diziam que não havia leitos e meu tio faleceu em casa. Ligamos para o 911 e nos pediram para ter paciência”, contou.

O comandante do exército, Darwin Jarrín, disse que até amanhã, ou o mais cedo possível, irá retirar todos os corpos. “O Ministério da Saúde entrega a certidão de óbito aos hospitais, a Polícia e a CTE (Comissão de Trânsito do Equador) transferem os corpos para os dois cemitérios — Parques de La Paz em Aurora e o Panteão Metropolitano na estrada para o litoral — e as forças armadas os enterram”, garantiu.

Para o engenheiro Jorge Wated, um conjunto de fatores traz à tona o pior cenário para a região. “As casas funerárias estão em colapso, elas sequer têm pessoal; os cemitérios não têm capacidade para receber tantos mortos a essa velocidade; as pessoas não podem deixar suas casas para realizar os procedimentos para enterrar seus mortos; o número de mortes está aumentando entre os diagnosticados, além das suspeitas de terem morrido por coronavírus e que não foram testadas. Isso cria um cenário muito difícil”, pontuou.

O médico Ernesto Torres disse que esse problema seria mitigado se houvesse atenção maior nas periferias e menor escala aos hospitais. “Se trabalhássemos intensivamente nesse nível (desde os primeiros casos), poderíamos impedir que muitas pessoas congestionassem hospitais. Agora, os hospitais tentam apagar incêndios com baldes de água”, comentou.

Paúl Murillo, chefe da área de advocacia comunitária do Comitê Permanente de Direitos Humanos, falou que o governo também falhou em ajudar os bairros mais afastados do centro urbano. “Está certo haver isolamento nos domicílios. Mas nunca pensaram em planos que garantissem, ao menos, segurança alimentar nos bairros periféricos e marginais”, argumenta.

No vídeo abaixo, do Russia Today, pode-se ver a situação calamitosa de Guayaquil. ADVERTÊNCIA: IMAGENS FORTES

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Equador: país passa por drama envolvendo vítimas da COVID-19. Fora!. Acessado em 1 de abril de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/04/01/equador-pais-passa-por-drama-envolvendo-vitimas-da-covid-19/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (1 de abril de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/04/01/equador-pais-passa-por-drama-envolvendo-vitimas-da-covid-19/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*