Venezuela: EUA sugerem plano de transição em troca da deposição de Maduro

Tempo de leitura: 4 minutos
O Secretário de Estado dos Estados Unidos da América: Mike Pompeo. Fonte: Nicholas Kamm/ AFP

O Secretário de Estado dos Estados Unidos da América, Mike Pompeo, formalizou nesta terça-feira, dia 01 de abril, a proposta para a Venezuela de um acordo de “transição democrática” cuja principal exigência seria a deposição de Nicolás Maduro da presidência do país. Trata-se da condição dada pelo presidente norte-americano, Donald Trump, para o abandono das sanções econômicas que os Estados Unidos impuseram à Venezuela e subsequente possibilidade de recuperação do país.

A sugestão de um governo de transição feita pelos Estados Unidos foi levantada na segunda feira, dia 31 de março, por Elliot Abrams, representante especial do Departamento de Estado dos EUA para a Venezuela. Abrams pautou a ideia em um artigo escrito para o The Wall Street Journal, tratando que esse projeto de governo de transição deveria contar com a ausência tanto de Maduro quanto do líder oposicionista, Juan Guaidó. Pela proposta de Abrams, tanto chavismo quanto a oposição poderão compor um Conselho de Estado que dê guarida para eleições presidenciais livres e transparentes. “Os Estados Unidos reconhecerão o resultado de uma eleição livre e justa, não importando o partido que ganhe; o que nos incomoda é o abuso do poder estatal que permite a uma das partes governar indefinidamente”, escreveu Abrams sobre a posição norte-americana.

Com a declaração de hoje, Pompeo apoiou o projeto de Abrams oficializando-o como política do governo norte-americano de agora em diante. Considerou que os membros da Assembleia Nacional venezuelana podem compor o Conselho de Estado idealizado como governo de transição até a realização de eleições presidenciais a decorrer entre 6 e 12 meses posteriores à implementação. Também declarou que tanto Maduro quanto Guaidó deverão aceitar o Conselho como governo único e legítimo durante o período de transição. “Satisfeitas as condições para eleições livres e justas, nós iremos retirar as sanções contra o país”, declarou Pompeo.

Diferente da proposta de Abrams, entretanto, Pompeo não deixou claro se Maduro ou Guaidó teriam permissão para participar das eleições presidenciais. Na verdade, deixou bem claro sua preferência por Guaidó, o qual prevê como favorito e que, no seu entendimento, seria o político mais popular da Venezuela. “Ao trabalharmos com esse marco de democracia o consideramos de forma estrita. Logo, entendemos que Nicolás Maduro deve sair e seguimos apoiando o trabalho do verdadeiro presidente, Juan Guaidó”.

A sinalização dessa proposta surge em um momento delicado para a Venezuela. Não obstante os embargos e o colapso político que atravessa o país, ocorre concomitantemente a pandemia global do COVID-19, que já matou três pessoas. Cenário que foi aproveitado pelos Estados Unidos e por Donald Trump, que nas últimas semanas ofereceu uma recompensa de 15 milhões de dólares pela captura de Nicolás Maduro.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. Venezuela: EUA sugerem plano de transição em troca da deposição de Maduro. Fora!. Acessado em 1 de abril de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/04/01/venezuela-eua-sugerem-plano-de-transicao-em-troca-de-deposicao-de-maduro/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (1 de abril de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/04/01/venezuela-eua-sugerem-plano-de-transicao-em-troca-de-deposicao-de-maduro/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*