Líbia: Forças lideradas por Haftar bombardeam Trípoli

Tempo de leitura: 5 minutos
General Khalifa Haftar. Fonte: Flickr

Com informações do Lybia Observer

Dezenas de foguetes foram disparados na capital Trípoli nesta segunda-feira (06/04), sendo os principais alvos do bombardeio o aeroporto Mitiga e o hospital Al-Khadra, localizado nos arredores da capital. Testemunhas disseram que a origem do ataque partiu de forças ligadas a Khalifa Haftar.

O ataque causou lesões graves em civis, incluindo funcionários do hospital, que tiveram que deixar o local em pânico. Uma enfermeira, que pediu pra não ser identificada, disse que uma paciente grávida sofreu aborto com o horror causado pela ofensiva contra o hospital.

O assessor de comunicação do Ministério da Saúde, Ameen Al-Hashimi, relatou o resultado do ataque. “Três pessoas ficaram feridas no ataque de Haftar a Abu Salim, incluindo um garoto de 15 anos. O bombardeio continua em Ghabat Al-Nasser, Hay Dimashiq e Abu Salim. Pelo menos quatro civis estão feridos”.

Al-Hashimi também pediu o cessar fogo para ajudar a conter a pandemia do COVID-19 no país. “Apelamos às organizações humanitárias internacionais para [nos ajudar a] parar a agressão em Trípoli e nos centros de saúde, onde médicos e paramédicos estão trabalhando incansavelmente para ajudar pacientes, especialmente em meio ao surto de coronavírus”.

Estima-se que o bombardeio possa ter sido uma represália por as forças de Haftar terem sofrido um ataque da Força Aérea Líbia. O porta-voz do Exército Líbio, Mohammed Gununu, disse que o alvo foi uma aeronave carregada de armas e munições endereçadas a Khalifa Haftar. Uma fonte comentou que a aeronave era um Antonov que estava vindo dos Emirados Árabes Unidos, país aliado a Haftar.

Impasse na Líbia

O mapa acima auxilia a compreender como o território se dividiu entre as partes beligerantes. As regiões em rosa estão sob controle de Haftar e do Exército Nacional Líbio. As regiões em verde claro estão sob controle do Governo de Acordo Nacional e das Nações Unidas, bem como de aliados reconhecidos internacionalmente, como a “Libya Shield Force”, uma amálgama de grupos controversa pelas suas relações com organizações classificadas como terroristas. As partes em verde escuro estão sob controle do Governo de Salvação Nacional, uma coalizão dos grupos políticos que perderam as eleições em 2014. As regiões em cinza estão sob controle do Estado Islâmico. As cidades com nome em azul são independentes e permanecem sob controle de forças locais.

O marechal-de-campo Khalifa Haftar, um dos principais atores do conflito, nasceu na cidade de Ajdabiya, no Nordeste do país. Ele serviu Muammar Gaddafi e tomou parte no golpe que levou este ao poder em 1969. Também serviu no contingente líbio durante a Guerra do Yom Kippur, contra Israel, em 1973. Em 1987 foi prisioneiro de guerra no conflito contra o Chade, o que resultou em um grande constrangimento para Gaddafi e constituiu um grande golpe contra as suas ambições no Chade. Na prisão, formou com outros oficiais um grupo para depor Gaddafi e foi libertado por volta de 1990 em um acordo com os Estados Unidos da América. Passou duas décadas nos EUA, em Langley, Virginia, o que lhe rendeu cidadania estadunidense. Em 1993 foi condenado à revelia por crimes contra o “estado das massas” (o próprio Estado líbio) e condenado à morte. Haftar ajudou a derrubar Gaddafi na Guerra Civil Líbia de 2011; em 2014 comandava o exército nacional quando se iniciou a Segunda Guerra Civil, por ocasião do Congresso Nacional Geral se recusar a sair do poder após o término do mandato de seus membros.

Covid-19

O diretor geral do Centro Nacional para Controle de Doenças, Badr Al-Din Al-Najjar, declarou oficialmente o primeiro caso de recuperação completa de um paciente líbio. Na coletiva de imprensa na segunda, Al-Najjar pontuou expressamente que o isolamento social é o primeiro passo para conter o avanço da doença, além de dizer que um segundo paciente já está a caminho da completa recuperação.

O órgão atualizou o número de casos oficiais para 19 pessoas na Líbia e um óbito até agora. As condições no país preocupam a Organização das Nações Unidas, visto que a pandemia de coronavírus pode causar um caos humanitário sem precedentes em uma nação que já se encontra desestabilizada por guerra civil.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Líbia: Forças lideradas por Haftar bombardeam Trípoli. Fora!. Acessado em 7 de abril de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/04/07/libia-forcas-lideradas-por-haftar-bombardeam-tripoli/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (7 de abril de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/04/07/libia-forcas-lideradas-por-haftar-bombardeam-tripoli/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*