África e Europa: líderes de diversas nações exigem moratória da dívida dos países africanos

Tempo de leitura: 4 minutos
Foto: Yuri Gripas/Reuters.

Líderes de 17 nações europeias e africanas assinaram um documento exigindo do FMI e do Banco Mundial um expressivo pacote de ajuda financeira e uma moratória sem precedentes das dívidas dos países africanos.

O documento resulta de uma iniciativa chamada “apelo para a ação”. Entre os signatários estão João Lourenço, presidente de Angola; António Costa, primeiro-ministro de Portugal; Cyril Ramaphosa, presidente da África do Sul e da União Africana; Abiy Ahmed, primeiro-ministro da Etiópia; Giuseppe Conte, primeiro-ministro da Itália; Uhuru Kenyatta, presidente do Quênia; Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia; Emmanuel Macron, presidente da França; Angela Merkel, chanceler da Alemanha; Charles Michel, presidente do Conselho Europeu; Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha; Macky Sall, presidente do Senegal; Abdul Fatah Khalil Al-Sisi, presidente do Egito; e Félix Tshisekedi, presidente da República Democrática do Congo.

No documento, os subscritores afirmam que o combate à pandemia de Covid-19 requer forte liderança internacional e um sentido de responsabilidade e solidariedade compartilhadas, e isso demanda o uso de todos os instrumentos possíveis para consolidar os sistemas de saúde da África e beneficiar, com apoios, os países de mais baixa renda.

O documento solicita “uma moratória imediata, em todos os pagamentos de dívida bilateral e multilateral, pública ou privada, até que a pandemia termine”, de modo a “fornecer liquidez adicional para a compra de produtos básicos e materiais médicos essenciais”. Diz ainda que o FMI (Fundo Monetário Internacional) deve “decidir imediatamente sobre a alocação de direitos de saque especiais”.

A diretora-geral do FMI, Kristalina Gueorguieva, já havia anunciado esta semana que a instituição decidiu aliviar de 25 países com economias fragilizadas, pela utilização de um programa de contenção de catástrofes chamado CCRT (Catastrophe Containment and Relief Trust).

Este tema deve dominar as discussões nas reuniões do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial que devem ocorrer em meados de abril – pela primeira vez de forma totalmente “virtual”. Essas reuniões incluirão os ministros das finanças/economia dos países-membros do G20, bem como os chefes dos bancos centrais de cada país.

O papel da África do Sul nessas reuniões é crucial. O chefe do South African Reserve Bank, Lesetja Kganyago, preside o comitê financeiro e monetário do G20 – sendo que a África do Sul é o único país subsaariano do grupo. Além de representar a África do Sul, ele e o ministro das Finanças, Tito Mboweni, devem usar essa reunião para defender os interesses do restante do continente. Uma força-tarefa com diversas figuras-chave da União Africana foi montada no intuito de angariar apoio internacional à proposta de renegociação das dívidas dos países em desenvolvimento.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. África e Europa: líderes de diversas nações exigem moratória da dívida dos países africanos. Fora!. Acessado em 16 de abril de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/04/16/africa-e-europa-lideres-de-diversas-nacoes-exigem-moratoria-da-divida-dos-paises-africanos/>.

APA:

Redação do Fora!. (16 de abril de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/04/16/africa-e-europa-lideres-de-diversas-nacoes-exigem-moratoria-da-divida-dos-paises-africanos/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*