Afeganistão: Atiradores atacam maternidade em Cabul e homem-bomba mata 25 pessoas em Nangarhar

Tempo de leitura: 3 minutos
Agente de segurança carregando bebê após o ataque. Foto: AP

Em tiroteio que durou horas, ao menos três homens mataram 16 pessoas. Outras 24 morreram em ataque suicida na província de Nangarhar.

Com informações de Al Jazeera e The New Zeland Herald.

O hospital Barchi, localizado na parte oeste da capital afegã, foi invadido por atiradores disfarçados de policiais, que mataram 16 pessoas – incluindo bebês recém-nascidos, mães e enfermeiros.

As forças de segurança isolaram a área e coordenaram a evacuação da maternidade, administrada pela organização não governamental Médicos Sem Fronteiras. Além das mortes, o porta-voz do Ministério do Interior, Tareq Arian, afirmou que o atentado resultou em 15 feridos.

O motivo da maternidade ser escolhida como alvo de uma ação desta natureza ainda é desconhecido. Contudo, a vizinhança abriga muitos membros da comunidade Hazara, minoria xiita que foi atacada pelo Estado Islâmico no passado. Arian classifica o ataque como “um ato contra a humanidade e um crime de guerra”.

Os atacantes invadiram o local atirando e lançando granadas. O hospital estava cheio de médicos, enfermeiros e pacientes no momento, que viveram momentos de “pânico total”, segundo um dos médicos que estava no local e que pediu para não ser identificado.

Entretanto, a violência do dia foi bem além de Cabul. Um homem-bomba atacou uma cerimônia funerária na província de Nangarhar, matando 24 pessoas e ferindo outras 68. O Estado Islâmico assumiu a autoria deste atentado: a região é um dos locais onde o grupo atua mais fortemente no país – embora também tenha realizado um atentado em Cabul no final de março que matou 25 pessoas.

Em meio a tudo isto, o acordo de paz que está sendo construído entre o governo afegão e o Talibã está sob ameaça. Desde fevereiro o Talibã mantém suas ações longe dos centros urbanos e evita alvos civis, em decorrência de um acordo feito com os Estados Unidos, de não atacar as forças lideradas pela coalização norte-americana.

O arranjo excluiu da trégua as tropas afegãs, mas o governo local fez outro acordo com o Talibã em março, assinando um decreto que libertou 1500 prisioneiros pertencentes à organização. A recente onda de violência ocorre em um momento bastante crítico por causa da pandemia do coronavírus, e pode resultar em retrocessos nas tentativas de estabelecer a paz no país.

Países como Reino Unido, Paquistão e Alemanha condenaram os atentados, assim como a Anistia Internacional.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Attila Piovesan. Afeganistão: Atiradores atacam maternidade em Cabul e homem-bomba mata 25 pessoas em Nangarhar. Fora!. Acessado em 12 de maio de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/05/12/afeganistao-atiradores-atacam-maternidade-em-cabul-e-homem-bomba-mata-25-pessoas-em-nangarhar/>.

APA:

Attila Piovesan. (12 de maio de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/05/12/afeganistao-atiradores-atacam-maternidade-em-cabul-e-homem-bomba-mata-25-pessoas-em-nangarhar/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*