Covid-19: Agência da ONU alerta para risco de fome atingindo milhões de pessoas no final de 2020

Tempo de leitura: 4 minutos
Sede da WFP em Roma, Itália. Fonte: Wikimedia Commons

Com informações da Oxford Analytica e WFP.

A pandemia causada pela Covid-19 pode agravar ainda mais a crise planetária ao final de 2020, alertou o Programa de Alimentos para o Mundo (WFP, acrônimo em inglês). A agência calculou que a vida e o sustento de 265 milhões de pessoas em países de baixa e média renda estarão sob séria ameaça de enfrentar também uma “pandemia de fome”.

A ‘crise’ alimentar refere-se à fase 3 de uma escala de cinco níveis usada pelos governos, doadores e agências de ajuda humanitária para classificar as situações de segurança alimentar dos países – a fase 4 é ‘emergência’ e a fase 5 ‘fome’. A fase 3 marca uma crise dos meios de subsistência, falta de acesso a alimentos e a necessidade de assistência alimentar externa. A estimativa de 265 milhões para 2020 refere-se a pessoas na fase 3 ou superior.

O relatório mais recente publicado dizia que 135 milhões de pessoas, em sua maioria concentrados na África e no Oriente Médio, enfrentavam fome aguda ao fim de 2019 como resultado de conflitos, efeitos das mudanças climáticas e crises econômicas.

“Essas novas projeções mostram a escala da catástrofe que estamos enfrentando”, alertou o economista-chefe do WFP, Arif Husain. “Precisamos garantir que dezenas de milhões de pessoas à beira da fome não sucumbam a esse vírus ou a suas consequências econômicas em termos de perda de emprego e renda”.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) apontou que ao menos 18 países introduziram proibições ou restrições de exportação de alimentos como resultado da Covid-19.

“É fundamental que o comércio continue a fluir, independentemente de qualquer outra coisa acontecendo ao seu redor”, alerta Husain. “Porque, se isso parar, o trabalho humanitário não pode acontecer”.

“Acumular suprimentos de comida ou colocar barreiras comerciais não funciona. Matar seus vizinhos de fome não é uma boa política. Vimos isso muitas vezes na crise de alimentos e combustíveis em 2008 e na crise financeira de 2009. Novamente nas crises de alimentos de 2010 e 2012. É melhor facilitar o comércio e deixá-lo fluir pelo mundo”, acrescentou.

O plano de trabalho para combater a crise custará pelo menos US$ 12 bilhões, um número que pode subir facilmente dependendo do impacto da pandemia nas pessoas famintas. Um total de US$ 1,9 bilhão desse dinheiro é necessário agora, para pré-posicionar os alimentos mais próximos das pessoas mais necessitadas enquanto as cadeias de suprimentos ainda estão funcionando. “Quanto mais esperamos, mais interrupções existem nas cadeias de suprimentos, mais caro seria economicamente e em vidas perdidas”, finalizou Husain.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Covid-19: Agência da ONU alerta para risco de fome atingindo milhões de pessoas no final de 2020. Fora!. Acessado em 18 de maio de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/05/18/covid-19-agencia-da-onu-alerta-para-risco-de-fome-atingindo-milhoes-de-pessoas-no-final-de-2020/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (18 de maio de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/05/18/covid-19-agencia-da-onu-alerta-para-risco-de-fome-atingindo-milhoes-de-pessoas-no-final-de-2020/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*