Colômbia: mais de 7.000 refugiados aglomerados em um bairro na fronteira com a Venezuela

Tempo de leitura: 3 minutos
O prefeito de Villa do Rosário, Eugenio Rangel. Fonte: El Espectador.

Com informações de El Nacional e El Espectador

Mais de sete mil venezuelanos se encontram amontoados em La Parada, bairro da cidade colombiana de Cúcuta. O bairro tem servido como ponto de entrada de refugiados venezuelanos por se situar como uma das principais passagens de fronteira entre Colômbia e Venezuela. Segundo o governo do departamento colombiano de Norte de Santander, onde a cidade se localiza, esses refugiados estariam acumulados no espaço trezentas casas aglomeradas no bairro.

O êxodo de venezuelanos para o bairro tem acontecido apesar da Colômbia ter fechado as fronteiras com a Venezuela no dia 14 de março. A administração do bairro foi militarizada por conta da preocupação de se transformar em um possível foco de transmissão do coronavírus, alerta potencializado com a estimativa de refugiados dada. Dentre os imigrantes, há apenas quatro casos confirmados de coronavírus confirmados no local. Mas existe a preocupação com as autoridades de que a doença se espalhe e se transforme em um núcleo de transmissão entre os dois países, algo realçado pela quantidade de venezuelanos que aportam temporariamente no bairro para depois retornar ao país natal. “É um assunto grave. Por aqui entrou uma grande quantidade de gente em nosso país que agora estão de retorno. Chegam o tempo todo do interior e diria que tem passado 50.000 pessoas de regresso à Venezuela nos últimos dias”, explicou em entrevista ao jornal colombiano El Espectador Eugenio Rangel, prefeito de Villa del Rosario, municipio de Cúcuta, onde se localiza La Parada.

O prefeito afirmou que a cidade tem contado até então com uma boa infraestrutura de saúde para dar conta da pandemia, mas manifestou preocupação pois, caso os contágios se alastrem, há chances desse sistema local entrar em colapso. Rangel afirmou também ter tentado entrar em contato com o governador de Norte de Santander, Silviano Serrano, com autoridades nacionais e com os congressistas colombianos, mas que eles não teriam respondido ao chamado de emergência. “Estamos fazendo um acordo com o governo nacional para construir um hospital de segundo nível e postos de saúde. Mas nos sentimos fragilizados, pois se tiverem mais contágios não teremos infraestrutura necessária para atendê-los”, declarou Rangel.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. Colômbia: mais de 7.000 refugiados aglomerados em um bairro na fronteira com a Venezuela. Fora!. Acessado em 19 de maio de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/05/19/colombia-mais-de-7-000-refugiados-aglomerados-em-um-bairro-na-fronteira-com-a-venezuela/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (19 de maio de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/05/19/colombia-mais-de-7-000-refugiados-aglomerados-em-um-bairro-na-fronteira-com-a-venezuela/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*