EUA busca cancelar vistos de estudantes chineses com receio de espionagem

Tempo de leitura: 4 minutos

EUA planeja expulsar estudantes de pós-graduação chineses que tenham vínculos com as escolas militares da China.

O governo Trump planeja cancelar os vistos de milhares de estudantes de pós-graduação e pesquisadores chineses nos Estados Unidos que têm vínculos diretos com universidades afiliadas ao Exército de Libertação Popular, segundo autoridades americanas com conhecimento das discussões.

O plano seria o primeiro a impedir o acesso de uma categoria de estudantes chineses, que, acima de tudo, formam a maior população estudantil estrangeira dos Estados Unidos.

Isso pressagia possíveis restrições educacionais adicionais e o governo chinês poderia retaliar impondo seu próprio visto ou proibição educacional aos estadunidenses. As duas nações já se envolveram em rodadas de retaliação por políticas envolvendo comércio, defesa, tecnologia, acesso à mídia, patentes e diplomacia, e as relações estão no seu pior momento em décadas.

As autoridades americanas estão discutindo maneiras de punir a China pela aprovação de uma nova lei de segurança nacional destinada a permitir repressão em Hong Kong, mas os planos para cancelar o visto de estudantes estavam em consideração antes da crise da lei, anunciada na semana passada pelas autoridades chinesas. O secretário de Estado, Mike Pompeo, discutiu os planos de vistos com o presidente Trump na terça-feira, em uma reunião na Casa Branca.

As universidades americanas devem reagir contra a decisão do governo. Embora o intercâmbio educacional internacional seja valorizado por seu valor intelectual, muitas instituições também contam com o pagamento integral de mensalidades de estudantes estrangeiros para ajudar a cobrir os custos, especialmente o grande grupo de estudantes chineses.

Administradores e professores foram informados nos últimos anos pelo F.B.I. e pelo Departamento de Justiça sobre possíveis ameaças à segurança nacional colocadas por estudantes chineses, especialmente aqueles que trabalham nas ciências. Mas os funcionários das universidades têm receio de um possível novo “medo vermelho” que atinja estudantes de um contexto específico e que possa contribuir para o racismo anti-asiático.

Muitos deles argumentam que possuem protocolos de segurança eficazes e que a exposição dos estudantes chineses aos efeitos liberalizadores das instituições ocidentais supera os riscos. Além disso, eles dizem que os estudantes chineses são especialistas em suas áreas de atuação e reforçam os esforços de pesquisa americanos.

Estudantes e pesquisadores chineses dizem que o crescente escrutínio do governo americano e novos limites oficiais de vistos criariam preconceitos contra eles, inclusive quando se candidatam a empregos ou subsídios.

O cancelamento dos vistos pode afetar pelo menos 3.000 estudantes, de acordo com algumas estimativas oficiais. Essa é uma pequena porcentagem dos aproximadamente 360.000 estudantes chineses nos Estados Unidos. Mas alguns dos afetados podem estar trabalhando em importantes projetos de pesquisa.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. EUA busca cancelar vistos de estudantes chineses com receio de espionagem. Fora!. Acessado em 28 de maio de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/05/28/eua-busca-cancelar-vistos-de-estudantes-chineses-com-receio-de-espionagem/>.

APA:

Redação do Fora!. (28 de maio de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/05/28/eua-busca-cancelar-vistos-de-estudantes-chineses-com-receio-de-espionagem/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*