Israel: governo pede que exército se prepare para anexação da Cisjordânia

Tempo de leitura: 3 minutos
Benny Gantz, à esquerda, e Benjamin Netanyahu, à direita. Fonte: Wikimedia Commons.

Com informações da CNN e Middle East Monitor.

Benny Gantz, ministro da defesa de Israel, pediu ao exército do seu país que comece os preparativos para realizar ações na Cisjordânia. O comunicado alimenta a possibilidade de que o governo israelense anexará partes da região nas próximas semanas.

Em uma declaração na tarde de segunda-feira (01/06), Gantz disse que havia instruído o chefe das Forças de Defesa de Israel (IDF, acrônimo em inglês) “a acelerar seus preparativos antes dos passos políticos na agenda da arena palestina”.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu fez campanha nas três eleições recentes com a promessa de ampliar o alcance da soberania israelense em partes da Cisjordânia, terra capturada por Israel em 1967. O chefe de estado disse ao Knesset – parlamento israelense – que “é hora de aplicar a lei israelense e escrever outro capítulo glorioso na história do sionismo”.

Em janeiro, o presidente estadunidense Donald Trump já havia dado sinal verde para o projeto de anexação planejado pelo seu aliado na região.

Por outro lado, a posição de Gantz nas eleições era contra a anexação unilateral – ele disse que acreditava que esse movimento só deveria acontecer com o apoio da comunidade internacional.

O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, declarou no dia 19/05 que vai se retirar de todos os acordos feitos com os EUA e Israel em resposta ao projeto de anexação.

O coordenador de políticas internacionais da União Europeia, Josep Borrell. falou que não irá reconhecer a anexação caso seja realizada.

“O direito internacional é um pilar fundamental da ordem internacional baseada em regras. A esse respeito, a UE e seus estados-membros lembram que não reconhecerão nenhuma mudança nas fronteiras de 1967, a menos que acordado por israelenses e palestinos”, disse Borrell, acrescentando: “A solução de dois estados, com Jerusalém como a capital futura de ambos estados, é a única maneira de garantir paz e estabilidade sustentáveis ​​na região”.

O Departamento de Estado dos EUA emitiu um alerta de segurança recomendando aos cidadãos americanos que visitam a Cisjordânia que “a violência pode ocorrer com pouco ou nenhum aviso, visando locais turísticos, centros de transporte, postos de controle do governo, mercados e estabelecimentos comerciais ou instalações governamentais”.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. Israel: governo pede que exército se prepare para anexação da Cisjordânia. Fora!. Acessado em 12 de junho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/06/12/israel-governo-pede-que-exercito-se-prepare-para-anexacao-da-cisjordania/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (12 de junho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/06/12/israel-governo-pede-que-exercito-se-prepare-para-anexacao-da-cisjordania/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*