Brasil: a repercussão da prisão de Fabrício Queiroz na imprensa estrangeira

Tempo de leitura: 6 minutos
O presidente Jair Bolsonaro, Fabrício Queiroz e o senador Flávio Bolsonaro. Imagem: Planalto/Cristiano Mariz/VEJA.

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, foi preso no interior de São Paulo no âmbito da investigação de um suposto esquema de “rachadinha” no Legislativo do Rio de Janeiro. Queiroz estava escondido em imóvel de advogado da família Bolsonaro. Veja como foi a repercussão na imprensa internacional:

Nos Estados Unidos, a Fox News destacou que “aliado de Bolsonaro, ex-policial é preso no Brasil em inquérito sobre corrupção”. A Bloomberg noticiou que “ex-assessor do filho de Bolsonaro é preso em investigação no Brasil”.

A CNN em espanhol destacou que “prendem ex-assessor de Flávio Bolsonaro, filho do presidente do Brasil”. A CNN brasileira fez a cobertura do caso em sua transmissão durante todo o dia de ontem, mas a CNN estadunidense não tratou do assunto.

No Reino Unido, o The Guardian colocou em destaque que “polícia brasileira prende aliado de Bolsonaro em inquérito sobre corrupção”. A BBC noticiou: “corrupção no Brasil: polícia prende ex-assessor do filho de Jair Bolsonaro, Flávio”. O Daily Mail, por sua vez, publicou: “ex-assessor do filho do presidente brasileiro Jair Bolsonaro é preso em meio a alegações de que ele ‘pagou esquadrões da morte’ com dinheiro desviado dos salários de funcionários”.

Em Portugal, a SIC Notícias publicou duas matérias sobre o assunto: “polícia prende ex-assessor do filho de Bolsonaro investigado em esquema ilícito” e “presidente do Brasil critica aparato em detenção de ex-assessor do filho“. O Expresso noticiou: “ex-assessor do filho de Bolsonaro preso por suspeitas de corrupção”. O Público usou a seguinte manchete: “ex-assessor de Flávio Bolsonaro detido pela Polícia Civil em investigação a esquema de corrupção”.

Na Espanha, o El País publicou: “detido um suspeito-chave na investigação por corrupção contra o filho mais velho de Bolsonaro”. O El Periódico destacou: “preso por corrupção um policial que era assessor da família Bolsonaro”.

Na Itália, o La Repubblica afirmou que foi preso o “braço direito” do filho de Jair Bolsonaro. O La Stampa destacou que o presidente brasileiro ficou “encurralado”.

Na Rússia, a agência Interfax usou a manchete “no Brasil, é preso ex-assistente do filho de Bolsonaro”.

O Russia Today em espanhol, que cobre a América Latina, fez uma cobertura em vídeo.

Na América Latina o caso repercutiu fortemente. Na Colômbia, o El Tiempo publicou que “prisão do ex-assessor do filho de Bolsonaro eleva tensão no Brasil”. No El Espectador, a matéria foi “detido ex-assessor chave para a investigação por corrupção contra filho de Bolsonaro”. A RCN Radio publicou que “cresce a crise política no Brasil depois da prisão de ex-assessor do filho de Bolsonaro”.

No Uruguai, o El Observador publicou que foi “preso por corrupção ex-assessor do filho mais velho de Bolsonaro”.

No Paraguai, o ABC Color usou a manchete: “prisão de ex-assessor do filho de Bolsonaro inflama a crise no Brasil”.

Na Bolívia, o El Deber publicou que “a polícia brasileira deteve ex-assessor de filho de Bolsonaro”.

No Peru, o El Comercio destacou que “a polícia brasileira deteve Fabrício Queiroz, ex-assessor do filho de Bolsonaro”.

No Equador, o El Comercio (que, apesar do nome, trata-se de um veículo de comunicação diferente do jornal peruano citado anteriormente) deu a manchete de que “prisão do ex-assessor do filho de Bolsonaro intensifica a crise no Brasil”.

A Telesur, sediada na Venezuela, noticiou que “prenderam um ex-assessor de Flávio Bolsonaro em São Paulo por caso de corrupção”.

Na Argentina, Clarín, La Nación, El Tribuno, Los Andes, La Voz, e Página 12 fizeram matérias sobre o assunto, destacando as acusações de desvios, lavagem de dinheiro e corrupção. Alguns dos veículos chamaram Queiroz de “testa de ferro” da família Bolsonaro.

A rede Infobae, que tem sua principal sede na Argentina mas possui escritórios em Nova York, Cidade do México, Miami, Bogotá, São Paulo e Madri fez sua própria matéria sobre o tema e republicou outras duas de diferentes fontes, a Associated Press e a Bloomberg (ambas norteamericanas).

Na Costa Rica, o La Nación (que não deve ser confundido com o jornal argentino de mesmo nome) publicou que “a captura de ex-assessor de um filho de Bolsonaro aperta o cerco em torno do presidente”.

Em Honduras, o La Prensa informou que “a polícia do Brasil deteve ex-assessor do filho de Bolsonaro”, destacando a investigação sobre desvio de salários de servidores legislativos.

No Chile a manchete do Publimetro foi “Brasil: ex-funcionário do senador Bolsonaro foi preso por corrupção”.

No México, Debate e Excelsior repercutiram o ocorrido, destacando a possibilidade de corrupção e lavagem de dinheiro.

Na República Dominicana, o El Nuevo Diario publicou uma matéria sobre a prisão em si e outra sobre as declarações de Flávio Bolsonaro a respeito dela.

Até o fechamento desta matéria, os principais jornais franceses e alemães ainda não haviam repercutido o caso em seus países de origem. A rede Al-Jazeera, principal mídia do mundo árabe, sediada no Catar, também não fez matéria sobre o assunto. Nestes países as notícias mais recentes sobre Jair Bolsonaro tratam da prisão dos envolvidos em manifestações antidemocráticas e das falhas do governo brasileiro no combate à pandemia do novo coronavírus.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

David G. Borges. Brasil: a repercussão da prisão de Fabrício Queiroz na imprensa estrangeira. Fora!. Acessado em 19 de junho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/06/19/brasil-a-repercussao-da-prisao-de-fabricio-queiroz-na-imprensa-estrangeira/>.

APA:

David G. Borges. (19 de junho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/06/19/brasil-a-repercussao-da-prisao-de-fabricio-queiroz-na-imprensa-estrangeira/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

One Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*