Venezuela: Maduro comenta sobre revelações de John Bolton

Tempo de leitura: 3 minutos
John Bolton quando era assessor de Segurança Nacional dos EUA. Fonte: Saul Loeb / AFP.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reagiu na quarta-feira, 17 de Junho, às revelações feitas pelo ex-assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, sobre os bastidores do governo de Donald Trump a respeito de uma ideia de invasão à Venezuela. Maduro considerou o vazamento como uma confirmação de que os Estados Unidos conspiraram para depor seu governo: “vão saindo as verdades sobre o que temos derrotado em 2019 e 2020” declarou, se referindo também a eventos como o governo paralelo de Juan Guaidó e a tentativa de invasão mercenária em Maio deste ano.

Os planos de Trump para a Venezuela fazem parte de outras revelações expostas por Bolton em seu livro “The Room Where it Happened: a White House Memoir” onde divulga os bastidores das reuniões presidenciais de que participou. Trechos do livro foram divulgados por veículos da imprensa norte-americana, especificamente no The Washington Post, no New York Times e na CNN, e seu lançamento é previsto para o dia 23 de Junho.

Sobre a Venezuela, Bolton descreve que Trump declarou que seria “genial” invadir o país pois “na verdade é parte dos Estados Unidos”. Em seu período como assessor, Bolton foi um dos maiores interessados na mudança de regime na Venezuela, sendo um dos principais artífices do reconhecimento dado pelos Estados Unidos a Juan Guaidó como presidente venezuelano legítimo. Entretanto, Trump duvidava consideravelmente da capacidade de Guaidó, o qual entendia como um “menino fracote”.

Considerando os interesses norte-americanos sobre a Venezuela, Trump teria comentado que “todas as opções estão sobre a mesa”, considerando inclusive a possibilidade de invasão militar ao país. Entretanto, Bolton relata que Trump também teria cogitado a via diplomática na possibilidade de uma reunião com Maduro: “Trump dizia, de vez em quando, que queria se encontrar com Maduro para solucionar todos os problemas da Venezuela, mas nem eu nem Pompeo pensávamos que isso funcionaria” relata, em referência também ao Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo.

O governo norte-americano entende que as memórias de John Bolton constituem uma violação a um acordo de não-divulgação assinado pelo ex-assessor de segurança nacional e qualificou Bolton como um traidor.      

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. Venezuela: Maduro comenta sobre revelações de John Bolton. Fora!. Acessado em 20 de junho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/06/20/venezuela-maduro-comenta-sobre-revelacoes-de-john-bolton/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (20 de junho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/06/20/venezuela-maduro-comenta-sobre-revelacoes-de-john-bolton/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*