EUA-Rússia: Começa reunião para novo acordo nuclear

Tempo de leitura: 4 minutos
Barack Obama, à esquerda, e Dmitri Medvedev, presidente russo, à época de assinatura do START em 2010. Fonte: Casa Branca. Autor: Chuck Kennedy.

Com informações da Folha de SP, NBC e The Guardian.

Estados Unidos e Rússia iniciaram nessa segunda-feira (22/06), em Viena, capital da Áustria, a reunião que pode definir o novo acordo nuclear entre as duas potências. O tratado vigente – Tratado de Redução de Armas Estratégicas (START, acrônimo em inglês), assinado na presidência Obama – se encerra em fevereiro de 2021.

As conversas começaram mal porque o enviado do governo estadunidense, Marshall Billingslea, criticou a não participação da China.

“Negociações em Viena estão para começar. A China está ausente. Pequim ainda se esconde atrás da Grande Muralha do Segredo sobre o incremento de seu arsenal nuclear, e também sobre tantas outras coisas. Vamos proceder com a Rússia, de todo modo”, escreveu o embaixador dos EUA.

Os EUA vem pressionando para que o governo chinês participe das negociações. Contudo, um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China adiantou que “ainda não é chegado o momento de a China participar das negociações de desarmamento nuclear”.

O chefe da área de controle de armas do Ministério das Relações Exteriores, Fu Cong, criticou o uso indevido de bandeiras chinesas usadas por Billingslea e respondeu: “Boa sorte pela extensão do Novo Start! Me pergunto o quão baixo você pode ir”.

Pelo lado russo, o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, disse antes de sua chegada a Viena que rejeitava o que chamava de posição americana em “verificação por verificação”.

Mas ele aceitou que alguns dos sistemas de armas nucleares mais recentes da Rússia, que parecem preocupar os EUA, pudessem ser colocados sob o “guarda-chuva” do tratado existente, como parte de um acordo recíproco que cobriria o novo armamento americano, incluindo sistemas avançados de defesa antimísseis que tornaram-se um grande ponto de discórdia para Moscou nos últimos anos.

A Federação dos Cientistas Americanos estima que a China possua 320 ogivas nucleares, enquanto EUA e Rússia tenham 1750 e 1572 prontas pra uso, respectivamente.

O Novo Start previa um teto de 1.550 ogivas operacionais para cada lado, e de 700 meios de transportá-las ao alvo, sejam aviões, submarinos ou mísseis lançados de silos em terra.

O novo acordo pode facilmente ser estendido por mais cinco anos. O presidente russo, Vladimir Putin, já deu o aval para estender o acordo, faltando à administração de Donald Trump dar a decisão final. Se o novo Start puder expirar, não haverá limites acordados para a proliferação de armas nucleares pela primeira vez em quase meio século.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. EUA-Rússia: Começa reunião para novo acordo nuclear. Fora!. Acessado em 22 de junho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/06/22/eua-russia-comeca-reuniao-para-novo-acordo-nuclear/>.

APA:

Flávio Henrique Soeiro de Castro. (22 de junho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/06/22/eua-russia-comeca-reuniao-para-novo-acordo-nuclear/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*