Rússia: reforma constitucional que permite a Putin permanecer no poder é aprovada em referendo

Tempo de leitura: 5 minutos
Foto: Sergei Ilnitsky/New York Times.

Os russos foram às urnas na quarta-feira para votar em um referendo nacional sobre uma emenda constitucional que permite a Vladimir Putin tentar se reeleger novamente. A votação abre caminho para que Putin, que governa há duas décadas, permaneça presidente até 2036.

A mudança na constituição permite que Putin busque mais dois mandatos de seis anos quando seu atual mandato se encerrar, em 2024.

A Comissão Central Eleitoral da Rússia divulgou na quarta-feira à noite uma contagem após processar 50% das cédulas, dizendo que 76,24% dos cidadãos que votaram apoiaram a emenda.

A popularidade de Putin é genuína, apesar de ter sido prejudicada durante a pandemia do coronavírus. No dia anterior à votação, o presidente russo apareceu em uma mensagem gravada em vídeo em frente a um novo monumento aos soldados soviéticos mortos na Segunda Guerra Mundial.

“Eles lutaram para que pudéssemos viver em paz, trabalhar, amar, criar valor e sentir orgulho da Rússia, um país com uma civilização única e uma grande cultura que une os destinos, esperanças e aspirações de muitas gerações de nossos antepassados”, disse ele.

“Vamos votar no país onde queremos morar, com educação e saúde de ponta, um sistema confiável de proteção social e um governo eficaz responsável perante o povo. Vamos votar em um país em benefício de que estamos trabalhando e que gostaríamos de transmitir aos nossos filhos e netos”, acrescentou.

Proeminentes oposicionistas, como Alexey Navalny, qualificaram os resultados oficiais da votação como “uma grande mentira”.

“No momento, um grande número de pessoas estão frustradas com o resultado. Eu votei ‘não’, todos ao redor votaram ‘não’, e o resultado é um sólido ‘sim'”, escreveu Navalny em um post em seu blog. “Isso não tem nada a ver com a opinião dos cidadãos russos”.

“Putin perdeu essa votação antes de começar. Afinal, ele se recusou a realizar um referendo real de acordo com todas as regras e com os observadores presentes. Porque ele entendeu que, se houver regras, ele perderá. Ele só pode vencer onde ele desenha números”, acrescentou.

Organizações independentes lançaram dúvidas sobre os números e o referendo recebeu críticas de grupos de observadores por falta de regulamentação.

Um grupo de ativistas reunidos na Praça Vermelha carregava placas com “2036”, informou o canal de notícias independente russo TV Rain. O vídeo postado pela correspondente da TV Rain, Maria Borzunova, mostrou os manifestantes deitados nos paralelepípedos em frente ao túmulo de Lênin.

A TV Rain informou ainda que os ativistas incluíam a deputada municipal de Moscou Lucy Shteyn. O site OVD-Info, que monitora detenções, citou advogados dizendo que os envolvidos no protesto foram detidos e posteriormente libertados sem acusação. Segundo o grupo, diversas pessoas foram detidas nas cidades de Moscou, São Petersburgo, Níjni Novgorod, Novosibirsk, Blagoveshchensk, Khanty-Mansiysk e Penza.

Alguns russos postaram fotos de si mesmos nas redes sociais enquanto estavam nas seções eleitorais, com a palavra “NYET” (“não”). Algumas centenas de pessoas se reuniram para uma pequena manifestação na Praça Pushkin, no centro de Moscou, um ponto de encontro favorito para protestos da oposição. Um manifestante segurava uma placa que dizia: “Putin para sempre?”.

Em um post no Instagram, Lola Nordic, uma DJ e ativista feminista de São Petersburgo, foi direta: “Hoje estou votando contra as emendas constitucionais de Putin que ele criou para ser capaz de reinar aqui por mais 16 anos”, escreveu ela.

Em um vídeo postado no Telegram, Ramzan Kadyrov, o líder da República Chechena, disse abertamente que Putin deveria ser “presidente vitalício”.

Por enquanto, tudo indica que a presidência de Putin deve terminar em 2036, quando completará 84 anos.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. Rússia: reforma constitucional que permite a Putin permanecer no poder é aprovada em referendo. Fora!. Acessado em 2 de julho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/07/02/russia-reforma-constitucional-que-permite-a-putin-permanecer-no-poder-e-aprovada-em-referendo/>.

APA:

Redação do Fora!. (2 de julho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/07/02/russia-reforma-constitucional-que-permite-a-putin-permanecer-no-poder-e-aprovada-em-referendo/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*