Mali: filho do presidente renuncia ao cargo pressionado por protestos

Tempo de leitura: 3 minutos
O filho do presidente de Mali e ex-presidente do Comité de Segurança do País, Karim Keita. Fonte: Financial Afrik.

Os protestos contra o presidente do Mali, Ibrahim Boubakar Keita, ganharam um importante reforço com a renúncia do filho do presidente, Karim Keita, ao seu posto de liderança no comitê parlamentar de defesa do país na segunda-feira, 13 de julho.

A repressão aos protestos já matou 11 manifestantes e deixou 150 feridos. Capitaneados pelo chamado Movimento 5 de Julho, uma coalizão de oposição de inspiração religiosa islamita, os protestos começaram pela exigência de reformas no sistema político do país. Porém, conforme a repressão ficou mais violenta, os manifestantes começaram a exigir a renúncia de Ibrahim ao cargo de presidente.

Em tentativa parcial de responder às demandas dos protestos, Ibrahim Keita chegou a anunciar reformas que incluem a dissolução da corte constitucional. Esta instituição é uma das razões dos protestos, por conta de seu papel em uma eleição legislativa ocorrida em março que levou a resultados polêmicos. Entretanto, as prisões e assassinatos de oposicionistas têm levado à radicalização dos manifestantes. Uma das lideranças das manifestações, o ex-ministro da educação do governo de Ibrahim Keita, Mountaga Tall, mencionou que a “desobediência civil” deve continuar apesar das promessas do governo. “A dissolução da corte e o governo consensual não correspondem à nossa visão de mudança desejada pelo povo”, declarou Tall.

Em meio a essa tensão institucional desencadeada pelos protestos, Karim Keita se utilizou do Twitter para repudiar o uso de sua imagem “como alvo de grupos populistas”. A imagem de Karim festejando junto de amigos estrangeiros foi constantemente utilizada nos protestos como símbolo da corrupção governamental e do abismo social entre a população e os governantes. “Alguns têm feito de minha modesta pessoa um motivo de comércio político; para outros, uma ferramenta de suas ambições irresolvíveis”, declarou Karim em comunicado publicado na rede social. Afirmando sua renúncia do comitê parlamentar de defesa, Karim mencionou que “não serei mais motivo de discórdia para um povo que precisa de um programa, tampouco um obstáculo para o diálogo entre os malineses para obter uma situação sócio-política que acalme os ânimos em nosso país”.   

Embora tenha renunciado de seu posto no conselho, Karim Keita continua com seu cargo parlamentar em Mali.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Gabriel Caio Corrêa Borges. Mali: filho do presidente renuncia ao cargo pressionado por protestos. Fora!. Acessado em 14 de julho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/07/14/mali-filho-do-presidente-renuncia-ao-cargo-pressionado-por-protestos/>.

APA:

Gabriel Caio Corrêa Borges. (14 de julho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/07/14/mali-filho-do-presidente-renuncia-ao-cargo-pressionado-por-protestos/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*