Gana: cerca de 2.000 profissionais de saúde infectados por coronavírus

Tempo de leitura: 4 minutos
Fonte da imagem: https://taj-strategie.fr/ghana-covid-19-immigration-update/

Desde o início da pandemia, dois mil trabalhadores da área testaram positivo para coronavírus, segundo informações divulgadas pelo governo ganense.

Com informações da CNN e do Serviço de Saúde de Gana.

Dois mil profissionais de saúde testaram positivo para coronavírus desde o início da pandemia no país em março, de acordo com o Serviço de Saúde de Gana. Este número é cumulativo e não reflete uma súbita explosão de casos, salienta Anthony Nsiah-Asare, médico que atua como conselheiro presidencial em assuntos sanitários.

O diretor-geral do Serviço de Saúde de Gana, Patrick Kuma-ABoagye, afirma não saber explicar exatamente como os trabalhadores foram infectados, mas relata que no início da pandemia o país sofreu com a falta de equipamentos de proteção individual (EPI) e que o número de profissionais contaminados caiu significativamente e que atualmente há EPIs suficientes para os médicos e enfermeiros.

Em junho o governo ganense começou a afrouxar as medidas de restrição sobre circulação e comércio, após um período de três semanas de quarentena e meses de proibição de aglomerações. Contudo, a reabertura de igrejas, escolas e restaurantes coincide com o registro de aumento de casos de Covid-19. A última atualização disponibilizada ao público pelo Serviço de Saúde de Gana, em 16 de julho, registrava 27.667 diagnósticos positivos de coronavíros e 148 mortes. O boletim de 1 de junho, divulgado pela mesma instituição, comunicava oficialmente 8.548 casos confirmados e 38 óbitos.

Evolução diária dos casos de Covid-19 em Gana apontam para um aumento após a suspensão das medidas restritivas. Fonte: COVID-19 Dashboard by the Center for Systems Science and Engineering (CSSE) at Johns Hopkins University (JHU).

Badu Sarkodie, diretor de Saúde Pública do Serviço de Saúde, nega que haja relação entre o número de casos e a reabertura do país: “Tomamos medidas extremas para garantir que as pessoas sigam nossos protocolos para manter distanciamento social, usar máscaras, lavar as mãos, e obrigamos os estabelecimentos a medir a temperatura dos clientes antes que entrem”.

Sarkodie também reforça que há centros de tratamento e quarentena espalhados pelo país e que o monitoramento feito por sua equipe avalia os casos em que a restrições devem ser mantidas ou aliviadas.

Sarkodie sustenta que os efeitos de um confinamento prolongado poderiam ser economicamente dramáticos: a possibilidade da fome e pobreza desenfreadas que poderiam advir “teriam efeito devastador se medidas não são tomadas para que os ganenses retornem ao trabalho”. Ainda conforme informação dada pelo diretor de Saúde Pública, uma instituição de pesquisa médica de Gana está desenvolvendo uma vacina.

No entanto, há muitas críticas de que o relaxamento das medidas de contenção impostas à população ocorreu cedo demais. Gana ocupa atualmente a terceira posição em casos de Covid-19 no continente africano, atrás apenas da África do Sul e da Nigéria. O país mantém as fronteiras fechadas desde março, sem previsão de reabertura.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Attila Piovesan. Gana: cerca de 2.000 profissionais de saúde infectados por coronavírus. Fora!. Acessado em 21 de julho de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/07/21/gana-cerca-de-2-000-profissionais-de-saude-infectados-por-coronavirus/>.

APA:

Attila Piovesan. (21 de julho de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/07/21/gana-cerca-de-2-000-profissionais-de-saude-infectados-por-coronavirus/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*