Irã condena cidadãos por espionagem para potências estrangeiras

Tempo de leitura: 3 minutos
A bandeira nacional do Irã tremulando. Ao fundo, a torre de telecomunicações Milad e edifícios em Teerã. Foto: Vahid Salemi/AP.

O Irã ocasionalmente prende pessoas acusadas ​​de espionar em nome de países estrangeiros, incluindo os EUA e Israel.

Os tribunais iranianos condenaram dois homens a 10 anos de prisão cada um por espionar o país em prol do Reino Unido, Alemanha e Israel, em casos separados.

O porta-voz do Judiciário, Gholamhossein Esmaili, disse que um dos homens, Massud Mossaheb, estava “espionando para o Mossad e a Alemanha disfarçado” como secretário-geral da Sociedade Austro-Iraniana.

Descobriu-se que Mossaheb lhes forneceu informações sobre “os campos de [desenvolvimento de] mísseis, [energia] nuclear, nanotecnologia e medicina” do Irã, disse ele.

De acordo com o jornal austríaco Der Standard, Mossaheb viajou ao Irã para acompanhar uma delegação de um centro de pesquisa austríaco, que abriu uma subsidiária perto de Teerã.

Depois de sua detenção, em janeiro de 2019, sua família não teve contato com ele por semanas antes de saber que estava detido na famosa prisão de Evin, em Teerã.

Um segundo homem, Shahram Shirkhani, teria espionado para os serviços de inteligência britânicos e tentou recrutar funcionários iranianos para a agência MI6, do Reino Unido, disse Esmaili.

Shirkhani repassou informações confidenciais sobre os contratos do Banco Central do Irã e do Ministério da Defesa, disse ele.

Esmaili também disse que mais cinco pessoas foram presas recentemente por suposta espionagem nos ministérios do exterior, da defesa e da indústria, empresas que trabalham na indústria de energia e a agência atômica iraniana. Não foram dados detalhes sobre os outros detidos.

Em julho, o Irã executou Reza Asgari, um ex-funcionário do ministério da defesa condenado por espionar em nome da Agência Central de Inteligência (CIA), dos EUA.

Mahmoud Mousavi Majd, membro do Corpo de Guarda Revolucionária Islâmica, elite do exército iraniano, também foi executado, após ser condenado por fornecer informações aos EUA e a Israel sobre o comandante da Guarda, General Qassem Soleimani, morto em um ataque de drones dos EUA em Bagdá, em janeiro de este ano.

Teerã anunciou em dezembro que prendeu oito pessoas “ligadas à CIA” envolvidas nos protestos de rua em todo o país que eclodiram no mês anterior por causa de um surpreendente aumento no preço do petróleo.

Também disse, em julho de 2019, que desmantelou uma quadrilha de espiões da CIA, prendendo 17 suspeitos entre março de 2018 e março de 2019, e sentenciando alguns deles à morte.

Na época, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, rejeitou a alegação como “totalmente falsa”.

Para citar este artigo, use os padrões abaixo.

ABNT:

Redação do Fora!. Irã condena cidadãos por espionagem para potências estrangeiras. Fora!. Acessado em 11 de agosto de 2020. Disponível em <https://fora.global/2020/08/11/ira-condena-cidadaos-por-espionagem-para-potencias-estrangeiras/>.

APA:

Redação do Fora!. (11 de agosto de 2020). Fora!. https://fora.global/2020/08/11/ira-condena-cidadaos-por-espionagem-para-potencias-estrangeiras/.

Adaptações na ordem nome-sobrenome, bem como em outros elementos, podem ser necessárias. Se o texto tem co-autores ou se trata de uma tradução, os co-autores/tradutores devem ser revisados manualmente devido a limitações em nosso script.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*